Site Autárquico de Alcobaça

teatro marionetas :: Manobras

04/09/2017

Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas

www.artemrede.pt 

 

Depois de 8 edições da Festa da Marioneta, a Artemrede decidiu meter mãos à obra e converter a festa num festival. Para isso, demos-lhe um novo nome, um novo impulso e saímos para 13 dos nossos 15 municípios manobrando marionetas e objetos, desenhando percursos pelo património, revisitando lugares e descobrindo histórias.

O 1º Manobras – Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas integra-se num projeto mais amplo, Outros Centros, que decorre nos municípios de Abrantes, Alcanena, Alcobaça, Pombal, Sobral de Monte Agraço e Tomar e que conta com o apoio do Programa Operacional Centro 2020. Mas as marionetas e as formas animadas estendem-se também a sul, chegando a Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Santarém e Sesimbra.

O Festival apresenta três espetáculos e uma oficina de artistas nacionais, aos quais se juntam seis propostas de companhias com origem na França, na Holanda e no Chile – esta última fruto de uma parceria com o Museu da Marioneta de Lisboa e Passado e Presente - Lisboa Capital Ibero-Americana da Cultura 2017.

Para além desta programação, uma das apostas estratégicas do Festival é o desenvolvimento de quatro projetos de território, de criadores portugueses que estarão em residência artística nas cidades e vilas do Manobras, inspirando-se nas suas histórias e memórias e construindo laços com as populações.

Tendo as marionetas no centro das suas escolhas, o Manobras evidencia a enorme transversalidade desta arte, que desafia fronteiras e géneros artísticos. Os mais jovens e as famílias continuam a merecer a nossa atenção, mas a diversidade da programação pretende tocar também um público adulto e recetivo a propostas transdisciplinares.

Com ou sem fios, sob um formato clássico ou inovador, em registo manual ou mais tecnológico, num teatro ou num espaço pouco convencional, o Manobras veio para ficar e está à sua espera!

 

 

Programação Alcobaça

 

 

7 SET, 22h | Praça 25 de Abril - Mosteiro de Alcobaça 

TRANSPORTADORES

Radar 360º

 

Os transportadores são nómadas contemporâneos! Passageiros das suas próprias viagens, constroem narrativas abstratas a partir de percursos poéticos e efémeros. Pelo caminho vão encontrando e acumulando... O seu património é material e imaterial. Questionam o excesso, a carência, o desperdício, o alto consumo, a sociedade fabricada, a natureza bruta... a memória individual e a (in)consciência coletiva da sociedade contemporânea.

Passam uma noite, mas seguem viagem, numa deambulação contínua, resultante de uma necessidade compulsiva de avançar nesta mobilidade da utopia!

 

 

 

9 SET, 18h | Praça Frederico Ulrich - São Martinho do Porto

E_NXADA

Erva Daninha, em cocriação com Binaural/Nodar

 

Espetáculo de circo contemporâneo, E_nxada explora a experiência e o imaginário rurais a partir de um ponto de vista urbano. Partindo da ideia do trabalho original e primário - e do seu lugar no espaço urbano atual - o espetáculo centra-se num objeto que cava os tempos até hoje, a enxada, que é símbolo de trabalho, de ligação entre o passado e o presente, de repetição e equilíbrio comuns ao circo contemporâneo. Através da desconstrução da ideia dessa ferramenta, o espetáculo convoca o espírito da materialidade rural para um contexto urbano, cada vez mais tecnológico, imaterial e evanescente.

 

 

22 e 23 SET, 15h e 21h30 | Museu do Vinho de Alcobaça

MUSEU DA EXISTÊNCIA

Amarelo Silvestre, Associação Cultural

 

Um homem, Senhor Melo, decidiu construir um Museu com objetos que as pessoas fazem existir. Objetos com memórias vivas.

O chapéu salva-vida, o pão torrado que alimentou um amor clandestino, a aliança da revolução que acabou com a guerra, a boneca que não se pode partir e tantos outros.

É isso o Museu da Existência. Os objetos e as histórias são das pessoas que abriram a porta de casa ao Senhor Melo, um pouco por todo o país. Ele falou-lhes do Museu da Existência e elas decidiram fazer parte. Emprestaram e doaram as suas próprias memórias vivas. Os seus objetos. O futuro dos museus é dentro das nossas casas. Quem o diz é Orhan Pamuk, Prémio Nobel da Literatura 2006, autor do livro Museu da Inocência, que conta a história de Kemal, um homem que construiu um museu de objetos a partir do momento mais feliz da vida dele próprio: o Museu da Inocência, em Istambul, na Turquia. O Senhor Melo conheceu Kemal e decidiu construir o seu próprio museu de objetos, a partir dos momentos mais felizes da vida das pessoas. É isso o Museu da Existência. Uma casa. Em cada município, a coleção do Museu da Existência inclui também objetos emprestados de pessoas do município.

 

5 OUT, 11h + 12h + 15h + 16h + 17h + 18h* | Mosteiro de Coz

GEOMETRIAS DO DIÁLOGO

JUSCOMAMA – França

Geometrias do Diálogo (Les Géometries du Dialogue) coloca em cena duas figuras cujas cabeças estão dentro de uma caixa preta de cartão. Dialogam connosco: a imagem, o desenho e o gesto são as suas palavras. Duas marionetas desenham-se, apagam-se e partem à descoberta uma da outra. Aos poucos, os rostos transformam-se em pinturas ou paisagens. Evocação livre do cinema mudo, sem moral no fim, sem intervalo e sem palavras.

* Visitas ao Património + Espetáculos  » Transporte de autocarro disponível às 10:30 e às 14:30 na Câmara Municipal, mediante pré-inscrição no teatro municipal: Cine-Teatro João D'Oliva Monteiro)

 

22 OUT, 18h | Cine-Teatro de Alcobaça - João D’Oliva Monteiro 

PESCADOR

Silencio Blanco – Chile

a convite do Museu da Marioneta no âmbito de 'Passado e Presente - Lisboa, capital ibero-americana de Cultura de 2017’

 

Tal como em Chiflón, o silêncio do carvão (Chiflón, el silencio del carbón), da mesma companhia, Pescador mergulha a fundo na intimidade de homens que, no seu labor solitário, se confrontam com a magnitude da natureza. Este é um espetáculo-tributo a esse tipo de trabalhos – ofícios agora esquecidos, mas outrora fundamentais na evolução do país e marcas indeléveis da História chilena.

 

27 OUT, 11h **| Cine-Teatro de Alcobaça - João D’Oliva Monteiro 

MÃOS AO ALTO! (HANDS UP!)

Lejo - Holanda

 

Mãos ao Alto! (Hands Up!) apresenta-nos várias personagens inusitadas como um cão com personalidade, um músico preguiçoso ou um pianista hiperativo, revelados numa série de pequenos sketches desvairados. A banda sonora do espetáculo vai da música clássica ao house numa mistura hilariante que embala o trabalho dos dedos de Lejo.

**exclusivo para público escolar

 

 

Saiba mais em http://www.artemrede.pt/FestivalManobras/index.php

 

 

 

 

Contactos

Newsletter